Title Page

By Eduardo Albuquerque - 4/27/2015



Você passou por todo o processo de Argumento, Beat Sheet, Escaleta e, finalmente, escreveu 110 incríveis páginas de ação e diálogos. Muito bem! Tire um momento pra se dar um tapinha nas costas! Você merece! A parte difícil passou, mas antes de botar o filho no mundo e mandar pra pessoas, você tem que fazer a "Title Page" (folha de rosto) do seu roteiro.

Eis as informações necessárias na "capa" do seu roteiro:
  • TÍTULO DO FILME 
  • NOME(S) DO(S) ROTEIRISTA(S) (dispôr "escritor por:" + "argumento de:", quando aplicável) 
  • DATA + NÚMERO DO TRATAMENTO 
  • CONTATO DO ROTEIRISTA

O título e o seu nome acho que não preciso explicar o motivo, né? A data e número de tratamento são importantes para a etapa de pré-produção, pra ajudar a equipe a se guiar de forma mais rápida no meio da loucura; colocar essa info no header de todas as páginas também não faz mal. Já o seu contato é importante, pois fica de fácil acesso para quem bater o olho nele te contactar e comprar/fazer um option no seu texto. Nunca se sabe em que mãos seu roteiro pode passar. Você envia pra uma pessoa, que de repente envia pra outra; se alguém interessante quiser se comunicar contigo... email e telefone caem muito bem. Já vi mais recentemente deixarem o Twitter, mas acho mais profissional email e telefone. Na dúvida; só email. Ah, se você até agora nunca recebeu esse toque na vida: tenha um email profissional, ou seja, sem graça e fácil de ser lembrado (nome sobrenome e o mínimo de complementos). Nada de nome96737@xxx.com ou patinhofeio@xxx.com.br (esse último era email de um amigo meu!). No entanto, caso seja um roteiro já comissionado (ou seja, cujo dono dos direitos patrimoniais é outrem) eu não colocaria o seu contato pessoal não. Deixaria só os três primeiros itens. Não coloque uma empresa sua como contato, nem endereço, tampouco o número de registro na Biblioteca Nacional. A empresa parece que você colocou pra vender uma imagem mais vencedora, tipo "Uau! A Nome Inventado Productions está por trás disso!", mas ninguém se importa/conhece, então não faz diferença. Endereço? Por quê? Seu roteiro é tão bom que a pessoa vai querer mandar um presente pra sua casa? (Also: beware of stalkers/golpistas.) E, sim, é VITAL que seu roteiro esteja registrado na Biblioteca Nacional, mas botar o número de registro ali é tipo placa de cão perigoso: efeito meramente psicológico; se quiserem roubar, vão roubar. Legalmente não conta pra nada. E a verdade é que este receio é besteira e amadorismo. Se for ficar com medo de botar na roda, melhor desistir logo, pois você dificilmente conseguirá êxito na carreira.

Quanto a disposição/apresentação destas informações, menos é mais. Não tem nada de errado em manter a Courier (fonte) e, no mesmo tamanho, dispôr todas estas informações supracitadas. O modelo standard de "title page" do Final Draft com tudo centralizadinho e espaçado é ótimo pra você usar; basta trocar as informações e apagar o excesso. Também tudo certo se você quiser trocar a fonte e/ou o tamanho do título (mas apenas do título!) para dar mais destaque. No penúltimo roteiro que entreguei eu me empolguei e usei uns seis Wingdings como complemento estético ao título e achei que foi uma adição simpática. Os produtores elogiaram. Mas é arriscado, pois entra numa seara de "bom gosto" e aptidão estética, o que nem todo roteirista tem, então, na dúvida, vá no standard e fazendo "inovações", tente ser clean. Fazer apenas por fazer não te serve nada; faça apenas se dialogar bem com o projeto e o título. Página colorida e desenhos gigantes também não são recomendáveis.

Não tem muito erro e nem muita regra; o que importa mesmo é o que vem logo depois desta "capa". Se seu texto for incrível, o leitor vai esquecer/perdoar uma Title Page papagaiada e/ou presunçosa. Mas, se o texto não for essas coisas, o cara que o avalia pode pegar birra e não te dar uma chance, então achei importante dar esse toque.

  • Share:

You Might Also Like

2 comentários

  1. Toque dado com certeza. Deixa eu te fazer uma pergunta sobre reescrever. Talvez se torne um futuro post, mas lá vai o meu questionamento. Percebi que foi o seu 10º argumento que serviu e que trabalhou em dupla, como foi o processo de escrever os argumentos? Um passou para o outro e foi girando a roda, o quanto mudou do primeiro ao ultimo (no sentido estrutura, mudou muito a estrutura tipo tirando personagens, mudando inicio ou fim) ou mudou mais diálogos desnecessários, cortou cenas, aprimorou alguma cena existente. Fale sobre o processo se puder.
    Também se a resposta acima sobre a dupla foi sim, cada novo argumento era feito individualmente, o que você pode passar de dicas para quem escreve sozinho, se autoanalisar.
    Jeferson

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Jef!
      Tenho programado (na cabeça, ainda não escrevi) um post sobre escrever a quatro mãos! Assim que tiver uma brecha eu ponho na roda e falo um pouco sobre esse processo de dividir a escriba (porque no que tange à parte criativa, este caso específico estaria mais próximo de ser classificado de "writing team"). Parando pra pensar, de repente cabem dois posts. O da parte criativa e o da parte de mercado quando o filme conta com mais de um roteirista...

      *mãozinha no queixo pensando*

      Vou pensar nisso melhor.

      Sobre a quantidade de TRATAMENTOS (lembre-se; Argumento é a PRIMEIRA peça de um longa e tratamento é a ÚLTIMA, ou seja, o roteito em si >> http://www.saladosroteiristas.com.br/2015/03/os-documentos-de-um-longa-argumento.html) mudou MUITO. E em todos os aspectos que você mencionou E outros mais! hehe Fora que o que você verá (é bom que você vá ao cinema assistir, hein?!) na tela à partir do dia 10 de Setembro (data da estréia) também não é 100% o que tava no roteiro de filmagem (esse da foto). Eu re-escrevi uma cena até mesmo no próprio dia de sua filmagem! É um processo muito dinâmico.

      Mais perto da estréia eu também vou fazer um post específico sobre o processo específico dele. Acho que pode ser de interesse da galera, ver a minha experiência pessoal com o trabalho e poder vê-lo na tela, comparar algumas coisas etc. e tal.

      Chega logo, Setembro!!!

      Excluir